Metamorfose

É o meu pensamento que cria e faz girar o mundo
E isto pode parecer uma ideia irracional e tola
Mas o mundo gira e serve-me de prova.
Criei tudo o que alguma vez foi criado e visto
E já imaginei tudo o que ainda não se realizou.
Se existem continentes e oceanos
É porque os moldei em toda a extensão da mente
Nada ficou ao acaso e nada foi desconsiderado
Sou, pensamento, o deus das limitações materiais.

O meu universo é uma sopa cósmica amorosa
Onde criei um mundo para morar igual à minha casa corpo
Porque o meu corpo é a minha casa
E à sua semelhança, existem pessoas que são crianças pessoas
Que são mágicas e eternas
Conservam o dom da criação e imaginam mundos
Criativos universos, únicos como elas são.

É a minha vida que dá vida ao mundo
Cada vez que abro os olhos
Nasce uma criança num qualquer planeta distante
E fico lá, a acalmar-lhe as primeiras dores no corpo
Até que cresça e saiba andar sozinha.
A vida transcende-me e permeia o universo.
Sou o deus das minhas limitações terrenas.
Metamorfose sem existência
Agora e depois.

Sem comentários: